Internet no Brasil pode ficar até 228% mais cara com Reforma Tributária de Paulo Guedes

  • por

Se você acha que sua internet é ruim e cara, então se prepare para dizer um jargão popular:

“Eu era feliz e não sabia”.

Isso porque, segundo aponta do ex-deputado Luiz Carlos Hauly, o setor de telecomunicações, com a nova proposta de imposto do Governo Federal, o setor teria um incremento de 228% de impostos.

Imposto

Segundo o Ministro da Economia, Paulo Guedes, a proposta de Reforma Tributária do Governo Federal foi dividida em quatro partes.

Assim, somente a primeira parte da proposta foi apresentada ao Congresso até o momento.

Contudo esta primeira parte trata da a unificação do PIS e da Cofins em um único tributo, a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS).

Na proposta, a alíquota da CBS seria de 12%.

Contudo o setor de telecomunicações paga a alíquota de 3,65% no sistema tributário atual pelo PIS e Cofins e também contribuem para fundos como Fust, Funttel e Condecine.

SindiTelebrasil

No entanto, para evitar este aumento nos impostos e o consequente repasse para o consumidor o SindiTelebrasil, sindicato das operadoras de telecom, deve divulgar uma manifestação sobre a proposta.

Porém a entidade já se posicionou contra “reforma tributária fatiada”.

“Se fala muito de uma reforma do PIS/Cofins, mas isso não resolve o grande problema da distorção tributária. Dependendo do que for calibrado, pode significar inclusive um aumento ainda maior da nossa carga”, destacou ao Telesintese, o presidente executivo da entidade, Marcos Ferrari

Traders de Bitcoin

Contudo a proposta de Guedes, além de “travar” o desenvolvimento das Telecomunicações no Brasil, inclusive a implementação do 5G, também pode impactar traders de Bitcoin.

Assim, no que vem sendo chamado de “nova CPMF”, o Ministro da Economia pretende criar um novo imposto que possa tributar as transações digitais.

Embora o texto ainda não tenha sido apresentado a Câmara dos Deputados, segundo informações o imposto deve incidir em todas as transações de compra e venda digitais.

Assim, tanto compras em e-commerces como Mercado Livre, Amazon, B2W e OLX teriam que pagar um novo imposto, compra e venda de Bitcoins em exchanges também estariam sujeitas às tributações.

Contudo, como o texto ainda não foi apresentado na Câmara o advogado Rafael Steinfeld destaca que ainda é cedo para falar em “tributação de traders de Bitcoin”.

“Ainda não podemos afirmar que toda operação de compra e venda de bitcoin em exchanges teria a incidência de imposto. Contudo, em algum momento o imposto também chegará às exchanges, seja quando o usuário faz o depósito na empresa ou quando faz a retirada”, afirma.

Fonte: https://cointelegraph.com.br/news/internet-in-brazil-can-be-up-to-288-more-expensive-with-tax-reform-by-paulo-guedes

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + sete =