Pandemia e crise bancária fazem negociações de criptoativos dispararem na Índia

  • por

A Índia, o segundo país mais populoso do mundo, está presenciando um aumento cada vez maior no volume de negociação de criptoativos, levado por questões econômicas domésticas e pela quarentena imposta pelo governo por causa da pandemia de Covid-19.

O estopim desse movimento ocorreu no início de março. Conforme relatou o CriptoFácil na ocasião, a Suprema Corte do país anulou uma ordem do Banco Central da Índia (RBI) que proibia os bancos de prestar serviços a entidades que lidam com criptoativos. Com o fim do banimento, a atividade de exchanges disparou no país.

“Houve um aumento considerável nos volumes de negociação em exchanges para clientes indianos devido à clareza e segurança oferecidas pela decisão da Suprema Corte”, disse Ashish Singhal, fundador e CEO da exchange CoinSwitch.

A plataforma de serviços bancários de criptoativos Cashaa India registrou um aumento de 800% no volume de negócios nas 48 horas que se à decisão. “A plataforma também registrou um volume de mais de 600 Bitcoin negociados nas primeiras 24 horas”, disse Kumar Gaurav, CEO da Cashaa.

Naquela época, os comerciantes indianos estavam com pressa, em grande parte devido a rumores de que o governo interviria tornando ilegal o comércio de criptoativos. “Todo operador estava procurando tirar proveito da janela de tempo oferecida pela decisão da Suprema Corte”, disse Gaurav. Isso provavelmente alimentou o aumento inicial nos volumes.

Falência de banco aumenta temores com crise

A atividade nas exchanges disparou ainda mais depois que a rede de televisão CNN divulgou que o Yes Bank, o quarto maior banco da Índia, entrou em colapso no dia 06 de março. Isso aumentou a desconfiança da população no sistema bancário do país, mesmo que mais de 50% dos indianos não possuam conta em banco.

O pânico nacional causado pela crise do Yes Bank funcionou a favor do Bitcoin. As vendas da Cashaa aumentaram a uma taxa diária de 250% a 450%, de acordo com dados fornecidos pela plataforma.

Mercados tradicionais, como ações e títulos, entraram em pânico em março, quando o surto de coronavírus ganhou força na Europa e nos Estados Unidos. O índice de ações indiano (NIFTY 50) caiu 23% em março, enquanto a rupia indiana (INR) atingiu um recorde de desvalorização, alcançando 77,40 INR por dólar americano.

Além disso, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, anunciou uma quarentena nacional de três semanas em 24 de março para conter o surto de Covid-19. Esse foi o maior lockdown do mundo, afetando mais de 1 bilhão de pessoas.

No entanto, a liquidação nos mercados tradicionais e o toque de recolher não impediram os indianos de aumentarem suas compras em criptoativos, especialmente o Bitcoin. “Março foi um dos melhores meses, dobrando o volume em relação ao mês passado”, disse Singhal.

A exchange WazirX, com sede em Mumbai, também registrou crescimento em meio à crise da Covid-19. “As inscrições aumentaram 25% durante a quarentena”, disse Nischal Shetty, fundador e CEO da WazirX.

Fonte:https://www.criptofacil.com/pandemia-crise-bancaria-fazem-negociacoes-criptoativos-dispararem-india/

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − dois =