Confira as melhores GPUs para minerar criptomoedas em 2020

O modo mais fácil para quem deseja ser minerador de criptomoedas é começar por meio de Placas Gráficas, GPU.

Afinal, este tipo de hardware é muito mais barato do que os equipamentos para mineração de Bitcoin, conhecidos como ASIC.

Assim, a alta velocidade de processamento das placas de vídeo abriu caminho para elas na mineração de criptomoedas, apesar de não terem sido criadas para este fim, inicialmente.

Além disso, uma vantagem das GPUs em relação a outros equipamentos usados ​​para mineração, como os ASICs, é que elas podem trabalhar com uma ampla variedade de criptomoedas.

Isso porque os dispositivos ASIC são projetados para funcionar exclusivamente com um algoritmo. Desta forma, limitando suas opções na mineração.

Quais as melhores

Para detalhar quais são as melhores placas gráficas de 2020, o especialista em mineração de criptomoedas, Alfredo Oquendo montou um guia.

Apesar da desvantagem que apresentam em relação às GPUs, os ASICs têm a seu favor que são muito poderosos no algoritmo que exploram.

Atualmente, a AMD e a Nvidia são os principais fabricantes de placas de vídeo do mundo.

“Quanto mais o poder computacional de uma rede cresce, mais poderoso o hardware usado para minerar deve ser. Isso torna obsoleto o hardware mais modesto, enquanto o equipamento mais poderoso e moderno é aquele que consegue permanecer ativo na atividade de mineração”, disse.

Radeon RX 5700 XT

Frequência: 1605 MHz a 1905 MHz

VRAM: GDDR6 – 8GB

Consumo elétrico: 225 W

A série RX 5000 de placas de vídeo AMD Radeon é a mais recente a chegar ao mercado.

Destes, o modelo que oferece a melhor rentabilidade na mineração é o RX 5700 XT.

O Ethereum (ETH) é a criptomoeda com a qual esta GPU funciona melhor.

Seu poder de mineração nesta rede atinge 51,5 Mh / s de energia.

No momento da análise, seus ganhos diários com a mineração de ETH eram em média R$ 4.

Outras criptomoedas com as quais o RX 5700 XT tem bom desempenho são: Ethereum Classic (ETC), Ravencoin (RVN), Heaven Protocol XHV e Beam (BEAM).

Outros modelos da mesma série de placas gráficas que podem ser usadas para mineração são o RX 5700, o RX 5600 XT e o RX 5500 XT. No entanto, a lucratividade desses outros modelos é menor em comparação com o RX 5700 XT.

Nvidia RTX 2060 Super

Frequência: 1470 MHz a 1670 MHz

VRAM: GDDR6 – 8GB

Consumo elétrico: 175 W

Os modelos Super da Nvidia são um tipo de versão “esteroide” da série RTX 2000 da Nvidia.

Entre eles, o modelo RTX 2060S (Super) é o que oferece melhor rentabilidade na mineração.

Apesar de ser menos potente que o 2070S e o 2080S, ele também consome menos eletricidade e é mais econômico.

Isso permite que o proprietário recupere seu investimento muito mais rapidamente; um fator que desempenha um papel importante na escolha do hardware de mineração.

Neste momento, em 2020, quase um ano após o seu lançamento, a placa de vídeo RTX 2060S mostra boa lucratividade por criptomoedas de mineração como Ravencoin (RVN), Ethereum (ETH), GRIN, Ethereum Classic (ETC) e XWP da Swap.

Seu melhor desempenho é observado na mineração de Ravencoin, onde a potência média é de 21 Mh / s e o ganho diário de R$ 3,13 com base nos preços atuais.

O RTX 2060S, embora custe cerca de R$ 530 a menos que o RTX 2070, oferece desempenho semelhante no processamento de mineração e gráfico. Isso o torna uma opção mais lucrativa.

Nvidia GTX 1660 Ti

Frequência: 1500 MHz a 1770 MHz

VRAM: GDDR6 – 6GB

Consumo elétrico: 120 W

Da série Nvidia GTX 1600, o modelo mais poderoso é o GTX 1660 Ti.

Esta placa de vídeo combina excelente potência, baixo consumo de energia e um preço competitivo.

Tudo isso favorece um rápido retorno do investimento, em comparação com outros modelos de GPU.

O GTX 1660 Ti mostra maior lucratividade ao minerar com a criptomoeda XWP do ecossistema Swap; cuja abordagem é baseada principalmente na privacidade das transações.

Seu algoritmo de mineração é um híbrido entre o CryptoNote e o Cuckaroo29.

Diariamente, o GTX 1660 Ti pode gerar cerca de R$ 2,50, de acordo com o preço atual do XWP no mercado, atingindo 5,1 G / s de potência.

Outras criptomoedas com as quais esta GPU oferece bons resultados são: Ravencoin (RVN), Ethereum, Ethereum Classic (ETC), Bitcoin anônimo (ANON) e Zcoin (XZC).

Apesar de ser uma placa de vídeo com excelentes recursos por seu preço, apresenta uma notável desvantagem para seus pares.

Trata-se de sua RAM de vídeo (VRAM), que possui apenas 6 GB; enquanto a maioria das outras GPUs usadas para mineração fornece 8 GB de VRAM.

AMD Radeon VII

Frequência: 1400 MHz a 1800 MHz

VRAM: HBM2 – 16GB

Consumo elétrico: 300 W

A criptomoeda que a Radeon VII pode explorar com uma melhor taxa de ganhos é XHV.

Ele usa o algoritmo CryptoNightHaven e é um dos ativos de criptografia nativos do projeto Haven Protocol.

Nesta rede, a Radeon VII pode atingir 2,24 Kh / s de energia e gerar cerca de R$ 7,37 por dia, de acordo com o preço do XHV no momento da análise.

Outras criptomoedas que essa GPU pode explorar com lucro são: Ether (ETH), GRIN, Ethereum Classic (ETC) e Ravencoin (RVN).

A principal desvantagem do Radeon VII é que, embora tenha sido relativamente curto no mercado, sua produção já foi descontinuada pela AMD.

Nvidia RTX 2080 Ti

Frequência: 1350 MHz a 1635 MHz

VRAM: GDDR6 – 11GB

Consumo elétrico: 260 W

A RTX 2080 Ti da Nvidia é uma das placas de vídeo mais desejadas por muitos jogadores e mineradores.

Embora sua velocidade de processamento esteja ligeiramente abaixo de outros modelos mais modernos e mais baratos, seus 11 gigabytes de memória gráfica o tornam uma ferramenta versátil de mineração.

As criptomoedas que o RTX 2080 Ti extrai para obter melhores resultados são: Ravencoin (RVN), Swap XWP, GRIN, Zcoin (XZC) e Mimblewimblecoin (MWC).

De todos, a MWC é a que apresenta o maior lucro, cerca de R$ 5,46 por dia, graças ao seu preço de mercado no momento da redação deste artigo. Nesta rede, pode atingir 2 G / s de potência.

Essas criptomoedas, como Beam e Grin, são baseadas no protocolo de privacidade MimbleWimble e usam o algoritmo Cuckatoo31. Por esse motivo, a potência de mineração é medida em gráficos por segundo (G / s).

Embora o RTX 2080 Ti seja o mais poderoso da série RTX 2000 da Nvidia, sua lucratividade na mineração é afetada por seu alto custo no mercado e seu alto consumo de eletricidade.

Isso torna difícil para as mineradoras recuperarem seus investimentos em um curto período de tempo.

AMD Radeon RX Vega 64

Frequência: 1247 MHz a 1546 MHz

VRAM: HBM2 – 8GB

Consumo elétrico: 295 W

A Radeon RX Vega 64 e sua irmã mais nova, a RX Vega 56, não são as preferidas dos mineiros.

Após o seu lançamento, muitos mineradores criticaram as placas nos fóruns por seu desempenho decepcionante, com alto custo e consumo de energia.

Isso foi um alívio para os jogadores no final de 2017, que não estavam mais recebendo placas gráficas, pois as melhores eram monopolizadas pelos mineiros.

Apesar das críticas iniciais, o RX Vega é atualmente usado por muitos mineradores.

O RX Vega 64 pode atingir 1,61 Kh / s ao minerar XHV a partir do Protocolo Haven.

No momento desta análise, o hash rate nessa rede implica em ganhos diários de, em média, R$ 3,40. Esse modelo de GPU também funciona bem na mineração de Ravencoin (RVN), ETH, BEAM e Ethereum Classic (ETC).

Tanto a Radeon RX Vega 64 quanto a RX Vega56 estão em falta no mercado.

A razão para isso pode ser semelhante a que lentamente fez o Radeon VII desaparecer, um alto custo de produção e pouca competitividade com modelos mais novos, mais baratos e mais eficientes da Nvidia e da própria AMD.

AMD Radeon RX 580

Frequência: 1257 MHz a 1340 MHz

VRAM: GDDR5 – 8GB

Consumo elétrico: 185 W

A série RX 500 da AMD substituiu a lendária série RX 400.

De fato, a arquitetura e o desempenho de ambas as séries são muito semelhantes. De todos, o modelo RX 580 com 8GB VRAM é o que oferece a maior lucratividade.

Esta placa de vídeo é a favorita para minerar criptomoedas com o algoritmo Ethash, como: ETH, Ethereum Classic (ETC) ou EXP.

No entanto, a criptomoeda que oferece um melhor desempenho atualmente é TUBE, da rede BitTube.

Ao minerar o TUBE, o RX 580 pode atingir 944 h / s e gerar cerca de R$ 2,39 por dia, de acordo com o preço do TUBE no mercado no momento da redação deste artigo.

Aqueles que, em meados de 2020, ainda possuem plataformas gráficas das séries RX 400 ou RX 500, talvez já tenham completado três anos aproveitando esse hardware.

Surpreendentemente, essas GPUs ainda permanecem no mercado de mineração.

Nvidia GTX 1080 Ti

Frequência: 1481 MHz a 1582 MHz

VRAM: GDDR5X – 11GB

Consumo elétrico: 250 W

O desempenho e certas características da GTX 1080 Ti são semelhantes às de sua versão mais moderna, a RTX 2080 Ti; embora a série GTX 1000 da Nvidia tenha sido lançada alguns anos antes.

Comparado a outros modelos, como o GTX 1060 e o GTX 1070, o GTX 1080 Ti consome muito mais energia, embora o compense com maior poder de mineração e memória gráfica de maior capacidade.

A versatilidade para explorar diferentes algoritmos é um dos recursos que favorece as GPUs da Nvidia.

No caso do GTX 1080 Ti, oferece bom desempenho com criptomoedas como ETH, Ravencoin (RVN), Ethereum Classic (ETC), Zclassic (ZCL) e GRIN.

Ravencoin é aquele que oferece maior lucratividade ao minerar com esta GPU, com ganhos diários de R$ 3,00 com base nos preços atuais do mercado.

Nessa rede, a GTX 1080 Ti pode atingir uma potência de mineração de 21,5 Mh / s.

Fonte: https://www.criptofacil.com/confira-melhores-gpus-para-minerar-criptomoedas-2020/

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + cinco =