‘TikTok é parte da estratégia da China com criptomoedas e difusão de sua moeda digital’, argumenta advogado

Recentemente publicações especializadas em segurança revelaram os problemas de privacidade do Tik Tok.

Assim os pesquisadores revelaram que o aplicativo de Rede Social de origem chinesa e que se popularizou pelo mundo estava vigiando seus usuários.

O aplicativo possui mais de 1,5 bilhão de usuários em todo o mundo.

Essa nova rede social tem como diferencial o mapeamento global das principais tendências de hashtags do momento, além de possibilitar criar vídeos e memes com efeitos especiais e rapidamente viralizar vídeos de pessoas desconhecidas, tornando-as celebridades.

Porém, assim como outras mídias sociais, possui mecanismos de coletas de dados de seus usuários parecidos com o do Facebook e de outras empresas americanas, e isso tem incomodado muito as autoridades estadunidenses.

Criptomoedas

No entanto, como revela o advogado Dane Avanzi diretor do Grupo Avanzi para além da questão de privacidade o TikTok se diferencia pela possibilidade de adquirir criptomoedas e efetuar transações como compra de emojis, exemplo.

“Com o avanço das moedas digitais, seria parte da estratégia chinesa difundir uma nova moeda global? Penso que sim.”, revela o advogado.

Assim, segundo o advogado, na China, atividades corriqueiras para os brasileiros, como acessar YouTube, Facebook, WhatsApp ou buscar um assunto no Google são quase impossíveis, uma vez que eles possuem as informações apenas nas redes sociais e comunidades chinesas.

“Tal controle é possível graças a um sistema central de computadores e softwares que centralizam todos os acessos e trocas de arquivos realizados em território chinês com o resto da rede no mundo, apelidado no universo digital como “Great Firewall of China”, em alusão à Grande Muralha da China”, destaca.

Firewall

Portanto, segundo Avanzi assim como a expressão sugere, firewall é uma barreira de proteção que pode bloquear o acesso a conteúdos considerados indesejados.

Isso dá a China, uma vantagem considerável nessa disputa hegemônica, porquanto, os cidadãos chineses, com raras exceções desconhecem as redes sociais e do restante do mundo.

“Em razão disso, a China hoje interage com todos os países do mundo, conhecendo e influenciando suas culturas, mas nenhuma empresa estrangeira é capaz de influenciar e interagir com a sociedade chinesa. Eis a principal razão do incomodo das autoridades e empresas estadunidenses”, destaca.

China na vanguarda da Economia Digital

Desta forma, para o advogado, durante mais da metade do século 20, os EUA foram a grande potência hegemônica do mundo, mas devem ser superados pela China justamente por conta de sua vanguarda na economia digital

“No entanto, nas últimas décadas, a China, com exceção do poderio militar, se apresenta como a grande candidata a ocupar a liderança mundial da nova economia digital que emerge, rompendo paradigmas, quebrando barreiras de fronteiras e estabelecendo novas maneiras de sentir, pensar e viver”, finaliz.

Tik Tok e  Dogecoin

Recentemente um movimento viral mostrou o potêncial do TikTok em mobilizar pessoas.

Assim, na plataforma de mídia social as pessoas começaram a comprar Dogecoin enquanto pedia que seus espectadores fazerem o mesmo.

O objetivo do esforço – enviar o preço do Dogecoin por US$ 1 – foi um tremendo viral embora o preço não tenha chegado nem mesmo a US$ 0,001.

Porém, durante o movimento do Tik Tok, no entanto, o DOGE conseguiu dobrar o preço antes de cair novamente nos últimos dias. 

Fonte: https://cointelegraph.com.br/news/tiktok-is-part-of-chinas-strategy-with-cryptocurrencies-and-spreading-its-digital-currency

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 8 =