Nubank triplica prejuízo em 2019 apresentando R$ 312 milhões negativos

O Brasil está demonstrando ser um país favorável ao nascimento e desenvolvimento das fintechs.

Vale ressaltar que as fintechs são as empresas que utilizam tecnologia para criar soluções financeiras aos seus consumidores.

Assim, recentemente, os brasileiros passaram a ter as fintechs como alternativa aos bancos tradicionais.

Ao contrário dos bancos, que são mais abrangentes, as novas empresas apostam em fornecer serviços especializados aos clientes.

Outro ponto positivo é a disponibilização de produtos e serviços a custos mais baixos para os consumidores.

Nesse cenário, o Nubank é uma das fintechs que mais cresceram no mercado brasileiro.

Porém, apesar do crescimento do número de usuários do Nubank, a empresa apresenta balanços negativos desde 2018.

Por esse motivo, cabe a pergunta: há uma razão para o “mal desempenho” do banco digital?

Prejuízo do Nubank em 2019 triplicou o resultado de 2018

Nessa semana, o Nubank revelou seu balanço do ano de 2019.

Como resultado, o banco digital obteve R$ 528,9 milhões em receita, ante um prejuízo de R$ 841,4 milhões.

Na soma dos resultados, o Nubank teve um déficit de R$ 312,8 milhões em 2019. Em 2018, o prejuízo foi de aproximadamente R$ 100 milhões.

Contudo, esses números não revelam a perspectiva total das operações do Nubank, segundo a visão dos seus diretores.

De acordo com os dirigentes da empresa, o Nubank aumentou o capital em R$ 189 milhões em agosto de 2019. Isso fez com que o patrimônio líquido da empresa saltasse para R$ 1 bilhão.

Além disso, parte das despesas do Nubank foram destinadas à ampliação dos seus serviços bancários, na palavra dos mesmos diretores.

Nubank tem adquirido empresas em 2020

Ao que parece, o resultado deficitário do Nubank encontra respaldo nas justificativas acima.

Entretanto, é necessário ficar atento aos próximos balanços da empresa.

De todo modo, o Nubank adquiriu a sua primeira empresa no início de 2020: a PlataformaTec, do setor de TI.

A aquisição ocorreu na modalidade “acqui-hire”, ou seja, o Nubank contratou apenas os talentos da empresa – ao invés do seu patrimônio “impessoal”.

No mais, em julho, o banco digital adquiriu a Cognitect, que é uma empresa de consultoria em software.

Atualmente, o Nubank não é uma empresa com capital aberto na bolsa de valores. Contudo, há apelo dos seus usuários na comunidade virtual do banco para que isso aconteça em um futuro próximo.

Fonte: https://www.criptofacil.com/nubank-triplica-prejuizo-2019-apresentando-312-milhoes-negativos/?utm_source=dlvr.it&utm_medium=social&utm_campaign=facebook

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 1 =