Pirâmide financeira conhecida como ‘Giro Solidário’ é divulgada em grupos de WhatsApp prometendo 700% de lucro

Considerada uma pirâmide financeira, o “Giro Solidário” voltou a fazer vítimas no Brasil com a promessa de alto retorno lucrativo em um sistema de bônus através de de indicações, que pode alcançar até 700% de lucro.

Assim, o negócio está sendo divulgado através de grupos de WhatsApp, segundo uma reportagem que explica como funciona o esquema. De acordo com denúncias sobre o caso, para começar as vítimas devem depositar R$ 130.

Também conhecido como “Roleta Solidária”, o negócio caracteriza-se como uma pirâmide financeira que oferece lucro mediante a formação de rede de indicados. Dessa forma, o negócio somente é mantido enquanto existir a entrada de dinheiro de novos usuários.

Giro Solidário

Durante a pandemia golpes envolvendo a promessa de lucro fácil ressurgiram na internet. Atraídos pela promessa de altos retornos, milhares de vítimas caem em esquemas como o Giro Solidário.

O “Giro Solidário” não possui qualquer relação com criptomoedas, sendo o negócio considerado uma pirâmide financeira com dinheiro. Para participar, a vítima deposita R$ 130 e pode ganhar até R$ 1.000 com sua rede de indicados.

Assim, o esquema funciona através de grupos de Whatsapp, organizados através de redes de indicados para o “Giro Solidário”. É por grupos que líderes captam novos investidores, que pagam R$ 130 para entrar no negócio.

Geralmente, os grupos são formados por até 15 pessoas, onde todos precisam de depositar R$ 130 para participar da pirâmide financeira. Logo após o pagamento deste valor, as vítimas são consideradas líderes e podem captar novos investidores para o esquema.

Roleta pode começar com apenas R$ 50

Por outro lado, o “Giro Solidário” possui semelhanças com outro golpe que está sendo amplamente divulgado durante a pandemia, a “Mandala da Prosperidade”. Nesse caso, esse tipo de golpe está se espalhando especialmente em grupos de mulheres, conforme revelou o Cointelegraph.

Embora o pagamento de R$ 130 seja exigido pela maioria dos grupos de “Giro Solidário”, em alguns casos é possível começar com uma menor quantia. Uma mensagem divulgada em grupos de WhatsApp mostra que a vítima pode começar com apenas R$ 50. Sendo assim, um lucro de R$ 400 é oferecido nesse caso, que chama o golpe de “Roleta Solidária”.

“Vocês já ouviram falar da roleta solidária? Em meio a essa pandemia é uma maneira de poder ajudar o próximo, você investe apenas R$ 50 e ganha R$ 400, basta ir indicando amigos pra roleta girar e você chegar no topo para ganhar. Nunca foi tão fácil ganhar dinheiro.”

Quem participa do negócio pode receber o dinheiro em até uma semana, segundo proposta da “Roleta Solidária”. No entanto, o esquema é mantido através da indicação de novos usuários, onde o dinheiro que chega é repassado para antigos líderes.

Ou seja, a pirâmide financeira pode se tornar insustentável a partir do momento em que o dinheiro de novos líderes não conseguir sustentar os pagamentos fraudulentos. Além disso, a divulgação de pirâmides financeiras é considerada crime no Brasil.

Enquanto o esquema do Giro Solidário pode começar com investimentos de apenas R$ 50, a Mandala da Prosperidade pede cerca de R$ 5.000 para as vítimas entrarem no negócio, com a promessa retornos de até R$ 40.000 por cada grupo de oito indicados.

Assim como o Giro Solidário, o golpe da “Mandala da Prosperidade” voltou a ser divulgado durante a pandemia do Novo Coronavírus. No caso da Mandala da Prosperidade, até servidores do Judiciário em Brasília – DF caíram no esquema de pirâmide financeira.

Fonte: https://cointelegraph.com.br/news/pyramid-scheme-giro-solidario-promises-700-profit

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 4 =