Criação da Blockchain é semelhante à invenção da Internet

Hoje em dia é quase impossível você ter uma conversa envolvendo tecnologia sem mencionar Blockchain. Apesar do ceticismo em relação a essa tecnologia, é bastante difundida a crença de que o Blockchain tem potencial disruptivo e de transformação do mundo.

A tecnologia Blockchain é descrita como um livro-razão transparente e descentralizado que captura transações com eficiência e de forma verificável e permanente.

No entanto, essa definição não é suficiente se queremos identificar semelhanças entre a Internet e a tecnologia de Blockchain, porque a Internet pode ser entendida a partir de múltiplos pontos de vista.

Para efeito deste artigo vamos considerar a Internet a partir da perspectiva de seu protocolo, o TCP/IP.

O que é o TCP/IP? Também conhecido como Protocolo de Controle de Transmissão e Protocolo de Internet, o TCP/IP foi lançado em 1972 como uma plataforma de suporte para o envio de e-mail na ARPAnet.

ARPAnet era um sistema de comunicação do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, que foi o precursor da Internet. Essencialmente, este protocolo retransmite dados digitalizando-os e subdividindo-os em pacotes muito pequenos que contêm informações de endereço.

Uma vez que esses pacotes são transmitidos para a rede, eles podem seguir qualquer route até seu destinatário. Os nós de transmissão e recepção nas bordas da rede separam e reconstroem os pacotes para decifrar as informações codificadas.

O resultado da introdução desse protocolo foi uma rede pública transparente e distribuída que não tinha um gatekeeper para supervisionar sua manutenção e expansão.

Esse avanço eliminou a necessidade de linhas de comunicação privadas e de uma extensa infraestrutura, antes essenciais para retransmitir informações nos canais de telecomunicações anteriores e que dependiam de comutação de circuito.

Após o início do TCP/IP, a inovação da World Wide Web deu origem a um setor totalmente novo. Um artigo da Harvard Business Review identificou as tendências de adoção de tecnologia e servirá como base para a comparação entre Internet e Blockchain.

Este artigo estabeleceu os quatro estágios pelos quais as tecnologias revolucionárias passam antes de mudar a economia por completo. São eles:

● Uso único (Single-use)

● Uso localizado (Localized use)

● Substituição (Substitution)

● Transformação (Transformation)

Utilizaremos essas fases para a comparação entre Blockchain e a Internet. Primeiro, vamos analisar a jornada do TCP/IP.

A Internet

Uso único: TCP/IP foi utilizado para transmitir mensagens na ARPAnet. Ele permitia mensagens bilaterais e minimizava consideravelmente as  despesas dos sistemas de telecomunicações existentes.

Uso localizado: o que se seguiu foi que várias empresas adotaram o protocolo como uma forma alternativa de comunicação.

Embora sua aplicação seja principalmente na retransmissão de mensagens, esse uso se espalhou para diferentes setores, não ficando mais restrito ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

A introdução da World Wide Web (WWW) também deu origem a várias startups focadas em solucionar as deficiências dessa inovação. Por exemplo, a Netscape começou a vender ferramentas de navegador e servidores web, enquanto o Yahoo e o AltaVista desenvolveram recursos para acessar informações na web.

Substituição: esta fase foi caracterizada pela concorrência direta dos modelos de negócios tradicionais com os novos modelos baseados na Internet.

Por exemplo, a Amazon expandiu seu estoque de livros para além das lojas físicas e os disponibilizou aos consumidores de forma on-line. Outro exemplo foi a CNET que utilizou o meio on-line para a divulgação de notícias.

Transformação: a Internet ultrapassou os modos de vida preexistentes. Aqui podemos mencionar desde as transformações do varejo levadas a cabo pela eBay, das comunicações pela Skype e a da música pela Napster.

É evidente que, embora o objetivo inicial do TCP/IP fosse potenciar a troca de mensagem via e-mail, ele teve um grande impacto na economia e revolucionou vários setores.

Tecnologia Blockchain

Agora vamos considerar a tecnologia Blockchain. Atualmente, existe a noção de que suas potenciais aplicações são infinitas. Para colocar isso em perspectiva, vamos considerar essa tecnologia do ponto de vista dos negócios.

Empresas mantêm registros de transações que captam o desempenho histórico e informam estratégias futuras. Atualmente, as empresas não possuem um livro-razão mestre de atividades. Seu sistema atual é baseado em livros-razão privados internos que estão suscetíveis a erros.

Considere um cenário em que um indivíduo está comprando ações. Esta transação acontece em segundos. No entanto, a troca da propriedade das ações entre as partes leva algumas semanas.

Se as empresas executassem um Blockchain que capturasse essas transações, a transferência de propriedade poderia ser finalizada tão rapidamente quanto a compra. Com isso em mente, vamos voltar às quatro fases da adoção da tecnologia.

Uso único: é seguro afirmar que a tecnologia Blockchain já alcançou esta primeira fase com a primeira Blockchain, a qual deu suporte ao Bitcoin.

Originalmente, o Blockchain do Bitcoin tinha uma única utilidade; uma forma de pagamento. Hoje, o Blockchain não se limita a ser somente uma plataforma de suporte a criptomoedas.

Existem vários usos potenciais, como desenvolvimento de aplicativos descentralizados, o que já sinaliza a superação da fase de uso único.

Uso localizado: a expectativa é que o Blockchain comece a ser aplicado por diferentes organizações. Atualmente, vemos organizações como Nasdaq e Bank of America explorando soluções de Blockchain para enfrentar os desafios relacionados a suas operações.

Já o Walmart implementou a tecnologia Blockchain no gerenciamento de sua cadeia de suprimentos em parceria com a IBM.

Substituição: substituir as estruturas existentes seria o próximo passo. No momento, o Blockchain ainda não foi universalmente adotado e isso representa o desafio mais significativo que a tecnologia enfrenta atualmente.

O fato de que as estruturas tradicionais estejam em uso há séculos e bastante consolidadas não facilita a transição pro Blockchain. No entanto, essa substituição não deixa de ser possível.

Transformação: o componente do Blockchain que possui o maior potencial para alcançar uma transformação profunda são os contratos inteligentes. Como a maioria dos compromissos de negócios é impulsionada pela execução de contratos, as possibilidades são ilimitadas.

Para além desse aspecto empresarial, devemos reconhecer que as interações pessoa a pessoa também são controladas por contratos em várias disciplinas, incluindo direito, artes, trocas de valor, para citar alguns.

Também é importante notar que a pandemia de Covid-19 criou obstáculos para interações entre pessoas nos mais diversos setores. Interações estas que poderiam ser resolvidas pela integração de Blockchain e outras tecnologias emergentes, como Realidade Aumentada (AR), Inteligência Artificial ( AI) e a Internet das Coisas (IoT).

Portanto, a introdução dessa tecnologia provavelmente mudará processos e fornecerá novas soluções para vários setores, cumprindo seu potencial transformador.

Considerações finais

Assim como o TCP/IP, a tecnologia Blockchain tem o potencial de transformar o mundo. A primeira fase de Uso Único foi superada e os projetos Localizados estão crescendo a cada dia.

Fica claro que o desenvolvimento tanto da Internet quanto da tecnologia de Blockchain está seguindo uma trajetória de crescimento semelhante.

Sobre o autor

Fares Alkudmani é formado em Administração pela Universidade Tishreen, na Síria, com MBA pela Edinburgh Business School, da Escócia. Desde janeiro de 2019, atua na empresa de criptomoedas Changelly como gerente-geral para a América Latina

Fonte: https://portaldobitcoin.uol.com.br/criacao-da-blockchain-e-semelhante-a-invencao-da-internet/

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete − 7 =