Acusada de pirâmide financeira e ‘devendo’ R$ 250 milhões BWA anuncia Plano de Recuperação para pagar seus clientes

A empresa acusada de pirâmide financeira, BWA, publiou nesta quinta, 24, uma proposta de Recuperação Judicial na qual pretende pagar todos seus clientes.

“Este Plano de Recuperação Judicial representa, na visão da BWA BRASIL, uma alternativa viável para honrar os contratos dos clientes, bem como o pagamento sustentável e ordenado de suas obrigações com todos credores – possuidores de títulos extrajudiciais e judiciais, após as dificuldades narradas, permitindo a manutenção da fonte produtora, dos empregos, dos interesses dos clientes e promovendo sua preservação, a preservação de sua função social e o estímulo à atividade econômica, uma vez que a empresa é relevante para a região onde está estabelecida, e fica em linha com o princípio maior adotado pela LRF.”, declarou a empresa.

Recuperação Judicial

Assim, segundo a BWA, haverá quatro ações para a retomadas das atividades e o pagameno dos clientes.

Entre elas um Bot de negociação automatizada nas exchanges que segundo a empresa teria sido desenvolvido pela própria BWA.

Além disso também prevê a disponibilização de um ERP, dos tokens da BWA em exchanges e a criação de um fundo de criptomoedas.

Plataforma BOT

Segundo a BWA consiste em um Bot (robô desenvolvido 100% pela BWA BRASIL) que atua em mais de 10 mercados de criptomoedas, efetuando operações de compra e venda simultâneas visando obter lucro na diferença de preço entre os mercados.

Assim, os clientes interessados utilizarão suas próprias contas em exchanges, fornecendo chaves API para o sistema efetuar as operações.

Segundo o plano de RJ da empresa a plataforma BOT será oferecida em duas modalidades, sendo uma para pessoa com pouco capital e maior tempo para se dedicar ao Bot. Clientes com até dois Bitcoins pagarão uma mensalidade de R$ 100,00 para ter acesso ao Bot.

Já clientes com capital superior a dois Bitcoins não pagarão mensalidade, porém pagarão 50% de seu lucro para a BWA BRASIL.

“Para ambos os públicos serão oferecidos treinamentos a um custo mensal, onde irão aprender mais sobre o mercado de criptoativos e em como balancear e configurar o Bot corretamente de acordo com movimentação do mercado”

Também haverá o produto Alocação de trader, será ofertado apenas para clientes com capital superior a dois Bitcoins, onde um grupo de especialistas da empresa monitorará o mercado, configurará o Bot de maneira adequada e fará ou não (a pedido do cliente) o balanceamento.

ERP BWA BRASIL.

Software desenvolvido pela BWA BRASIL para gestão de clientes e gestão financeira da empresa, com backend para utilização de equipe interna e frontend para acesso do cliente e acompanhamento de seus produtos etc.

Segundo a BWA o atual ERP é focado e ideal para clientes que possuem muitos clientes que necessitam ter acesso a uma plataforma para consultar status, saldo, entre outras informações do seu produto contrato.

“A princípio, a BWA BRASIL pretende atender o mercado de fundos de investimento e assets, e posteriormente, pode customizar o software para outros segmentos”, declarou.

Token BWACoin e AlpenCoin

Segundo a RJ da BWA a empresa desenvolverá um projeto para fomentar novas formas de utilização do token, através da tentativa de listagem em novas exchanges para negociação e parceria com comércio para a aceitação do token na aquisição de produtos e serviços.

“O token que os clientes possuem por conta do contrato com a empresa será disponibilizado para cada um deles de forma imediata. A cotação e valor de cada token é determinada pelo mercado de criptoativos conforme oferta e procura”, declarou

Assim a empresa declarou que no segundo semestre de 2020 o token será aceito para pagar por serviços da empresa (BOT e ERP).

Já no primeiro semestre de 2021 o token poderá ser listado em pelo menos mais duas exchanges no mundo, aumentando assim a negociação do token.

E no segundo semestre de 2021 o token poderá ser aceito por estabelecimentos e e-commerces parceiros.

Além destas ações a empresa alega que criará um Fundo de Criptomoedas previsto para iniciar no segundo semestre de 2021, onde a BWA BRASIL atuará como gestora.

Justiça

A BWA operava no Brasil oferecendo contratos de investimento coletivo sem a autorização da Comissão de Valores Mobiliários, CVM.

A empresa era conhecida por oferecer lucros de 10% ao mês, o negócio operava supostamente uma pirâmide financeira com investimentos em Bitcoin.

Contudo, em julho deste ano o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo deferiu o pedido de recuperação da empresa BWA Brasil. 

A dívida com os clientes é superior a R$ 295 milhões, de acordo com a lista divulgada de credores.

A recuperação judicial da BWA Brasil foi aprovada pela Justiça que nomeou a empresa Lastro Consultores para administrar a recuperação do negócio.

Porém, a Polícia Civil de Santos – SP deverá instaurar um inquérito sobre a atuação da empresa.

Mais de 20 boletins de ocorrência foram registrados por investidores que não recebiam da BWA Brasil.

A investigação sobre o caso pode apontar crimes contra o sistema financeiro nacional, além de lavagem de dinheiro e estelionato. Após a aprovação do pedido de recuperação judicial, a BWA Brasil deverá publicar o edital do pedido em algum jornal de grande veiculação.

Confira o documento

Fonte: https://cointelegraph.com.br/news/accused-of-financial-pyramid-bwa-announces-recovery-plan-to-pay-its-customers

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − seis =