CVM aprova primeiro fundo 100% em Bitcoin do Brasil, da QR Asset

A Comissão de Valores Mobiliários, CVM, aprovou a criação do primeiro fundo 100% lastreado em Bicoin do Brasil.

Assim, a QR Asset Management, gestora de recursos da holding QR Capital, lançou nesta quinta-feira o primeiro fundo com alocação integral em Bitcoin do Brasil, o QR BTC MAX FIM IE.

Com gestão passiva e investimento mínimo de R$ 50 mil, o fundo será espelhado na rentabilidade do bitcoin e, portanto, não cobrará taxa de performance.

O produto inaugura, no Brasil, o investimento na principal criptomoeda do mercado de modo regulado e com as melhores práticas de custódia institucional, com taxa de administração de apenas 0,9% ao ano.

Com expectativa de alcançar um patrimônio líquido de R$100 milhões, nos primeiros 12 meses, o fundo já está disponível para aplicação em um primeiro momento no site da QR Asset e na plataforma Órama.

O QR BTC Max compra bitcoins diretamente em corretoras estrangeiras reguladas em seus países de origem. Essa inovação, trazida pela QR Asset ao mercado, está em consonância com as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que permitem que um fundo 100% alocado em bitcoin com esse desenho esteja aberto aos investidores qualificados, e não apenas aos investidores profissionais.

Bitcoin

Além de se apresentar como uma forma simples e segura para investidores se exporem de forma passiva ao bitcoin, o fundo se posiciona como nova opção de diversificação de portfólio em um cenário de baixo retorno dos investimentos de renda fixa, perspectiva de inflação e desvalorização de moedas fiduciárias.

Para Fernando Carvalho, CEO da holding QR Capital, o momento de lançamento do QR BTC Max não poderia ser mais oportuno:

“Estamos vivendo um momento de baixa histórica da taxa básica de juros e, assim, os investidores começam a buscar diversificação de portfólio em produtos que tenham liquidez, como o bitcoin. Além disso, existe o impacto da crise no mercado de câmbio. O bitcoin acaba atuando como um duplo hedge, uma vez que é uma commodity digital negociada em dólar no mercado mundial. Inclusive o ativo teve uma valorização expressiva em 2020, mesmo com o cenário atual.”, declarou

Theodoro Fleury, gestor da QR Asset Management, explica o benefício de se investir em bitcoin via fundo, em vez de comprar de forma autônoma em corretoras:

“Todos os processos são de responsabilidade da gestora, eliminando a necessidade de o investidor lidar com carteiras digitais, chaves privadas e exchanges – argumenta Fleury – A custódia dos ativos geridos é feita em deep cold storage, isto é, um tipo de disco rígido sem acesso à internet, o que garante a mais alta segurança para os bitcoins. Os investidores não têm acesso a esse tipo de custódia e, através do fundo, conseguem desfrutar dessa segurança”, disse.

Ativo Forte

O modelo do QR BTC MAX já está validado no mercado mundial.

O maior fundo de investimento de ativos digitais do mundo, 100% alocado em bitcoin e com gestão passiva, é da gestora americana Grayscale, com US$4.9 bilhões sob gestão.

No Brasil, o cenário de crise fez com que a procura por fundos regulados de investimento em criptoativos aumentasse em relação ao ano passado.

Em dezembro de 2019, existiam cinco fundos que, juntos, somavam 1,3 mil cotistas e cerca de R$ 26 milhões em Patrimônio Líquido.

Segundo o site da CVM, até o dia 21 de setembro, os nove fundos acumulavam 16,7 mil cotistas e R$ 210 milhões em PL. E, agora, o décimo fundo está ativo, oferecendo pela primeira vez no mercado brasileiro o investimento integral em bitcoin.

Hedge

O bitcoin, criado logo depois da crise financeira de 2008 com a intenção de ser um refúgio em cenários desafiadores, transformou-se na maior e mais importante das criptomoedas. O ativo vem sendo citado como opção por nomes reconhecidos no mercado mundial.

Luiz Stuhlberger, da Verde Asset Management, que tem o maior fundo multimercado fora dos EUA, acredita na moeda como investimento e reserva de valor.

O Renaissance Technologies, um dos maiores fundos quantum do mundo, anunciou que vai começar a investir em bitcoin.

Em carta aberta ao mercado, um dos investidores pioneiros em fundos de hedge, Paul Tudor Jones, também afirmou que o bitcoin é uma importante forma de reserva de valor e revelou investir na moeda.

Fonte: https://cointelegraph.com.br/news/cvm-approves-first-100-bitcoin-fund-in-brazil-by-qr-asset

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + 1 =