Gráfica de 168 anos vai parar de imprimir notas de papel para ‘imprimir’ criptomoedas para Bancos Centrais

Uma das gráficas mais antigas do mundo e responsável pela impressão de dinheiro na Europa anunciou que agora vai “imprimir” criptomoedas.

Assim, a gráfica alemã Giesecke & Devrient (G&D), de 168 anos de existência, anunciou que está investimento mais de US$ 17 milhões na Metaco, uma startup localizada na Suíça que fornece serviços relacionados à custódia de stablecoins e bitcoins.

Além disso, a empresa informou que no ano passado lançou no mercado o software Filia, que pode ser utilizado por bancos centrais para a emissão de Moeda Digital de Banco Central (CBDC).

Comentando a adaptação das empresas do mercado tradicional ao universo cripto, Samir Tabar, co-fundador de uma startup de tokenização descentralizada, a Fluidity, comentou que migração da G&D é normal em tempos de economia digital.

“Esse processe de adequação à nova realidade fará com que muitas empresas tradicionais venham a realizar mudanças cada vez ais profundas na sua forma de atuação, algumas das quais tendem a se tornar totalmente digitais a fim de servir à nova realidade que se apresenta no horizonte econômico e tecnológico atual”, disse.

Dinheiro fisico e dinheiro digital

E o processo de “impressão de criptomoedas” da G&D já está dando resultados.

Assim, atualmente, seis bancos centrais aderiram ao software criado pela empresa e estão negociando o uso do Filia para criar seu dinheiro digital.

Tanto é assim que já em 2019, cerca de 46% da receita de US$ 2,9 bilhões da G&D foram advindos da sua divisão de tecnologia voltada a moedas digitais.

A Giesecke & Devrient foi fundada em 1852 na cidade de Leipzig por dois jovens artesãos empreendedores, Alphonse Devrient, de 31 anos e Hermann Giesecke, de 21 anos.

Assim, no mesmo ano de fundação, a gráfica conseguiu seu primeiro grande contrato com o Banco de Weimar para produzir a nota de 10-thaler. 

A gráfica vem participando da história monetária desde então.

Assim, logo após a Primeira Guerra Mundial, ela se tornou uma das principais gráficas da República de Weimar.

Já no ano de 1936, produziu os ingressos para os Jogos Olímpicos de Berlim.

E agora, se tornou a primeira impressora privada de dinheiro a oferecer software para bancos centrais emitirem moedas digitais.

Fonte: https://cointelegraph.com.br/news/168-year-old-printer-to-stop-printing-paper-notes-to-print-cryptocurrencies-for-central-banks

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + seis =