Culpados: CVM condena Unick Forex e aplica multa de R$ 12 milhões em seus líderes

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) anunciou que os líderes da Unick Forex, Leidimar Bernardo Lopes (sócio), Alberi Pinheiro Lopes (sócio) e Fernando Marques Lusvarghi (diretor jurídico), foram considerados culpados em processo aberto na autarquia.

Desta forma, após processo instaurado pela Superintendência de Relações com o Mercado e Intermediários (SMI) o Colegiado da CVM decidiu, por unanimidade, pela condenação da Unick Forex e de seus líderes por oferecer investimentos em valores mobiliários sem a autorização da CVM.

Assim, segundo a CVM cada um dós líderes terá que pagar uma multa de R$ 1.500.000,00, pela distribuição irregular de valores mobiliários sem autorização da CVM (infração ao art. 16, I, da Lei 6.385/76).

Além disso outra multa de R$ 1.500.000,00, cada um, pela oferta pública irregular de valores mobiliários sem autorização da CVM (infração ao art. 19, caput, da Lei 6.385/76).

“No tocante à autoria, restou comprovado que Leidimar Lopes e Alberi Lopes eram os únicos sócios da Unick, tendo contribuído ativamente para a captação de investidores na oferta irregular. No que diz respeito a Fernando Lusvarghi, ainda que somente o diretor jurídico, teve um papel relevante na disseminação das informações para captação de investidores na oferta irregular, além de ser o responsável por estruturar as garantias reais para os investidores com o objetivo de persuadi-los na ideia de que os riscos inerentes aos investimentos eram inexistentes.”, destaca o voto da CVM.

Unick Forex

“as evidências colhidas no presente processo deixaram claríssima a existência de esquema fraudulento que consistia em convencer investidores a aportar recursos junto à Unick contra promessas de alta rentabilidade (…) as promessas feitas pela Unick de altos lucros garantidos com ganhos adicionais pela indicação de outros investidores apontam fortemente para indícios de uma estrutura de pirâmide financeira”, declarou a CVM em sua acusação contra a empresa.

A Unick Forex é acusada de ser uma das maiores pirâmides financieras da história do Brasil tendo movimentado até R$ 22 bilhões durante seus anos de operação.

A empresa que tinha sede no Vale dos Sinos, no Rio Grande do Sul, oferecia lucros de até 400% através de investimentos em criptomoedas e, por conta de suas atividades e golpes em outubro de 2019, foi alvo da Polícia Federal que derrubou a pirâmide de R$ 12 bilhões e prendeu todos os envolvidos, o que representou o fim da empresa.

Porém os clientes seguem sem receber até hoje.

O Ministério Público chegou a promover um leilão dos automóveis de luxo ligados à empresa em outubro de 2020, mas não deu mais detalhes sobre os fundos levantados e o ressarcimento de quem foi prejudicado pelos crimes da Unick.

Em um áudio vazado em março de 2020, o líder do esquema, Leidimar Lopes, reclamava dos clientes desfalcados “mendigarem” R$ 100.000.

Entre as descobertas das investigações do MP, as autoridades afirmam que a Unick chegou a tentar comprar um banco e planejava aprovar o negócio junto ao Banco Central com a colaboração de um lobista.

Fonte: https://cointelegraph.com.br/news/cvm-applies-a-total-fine-of-r-12-million-to-unick-forex-and-its-leaders?fbclid=IwAR3ipvm1JRp-bNJOzm0_s4s5b0jDVGiUtDwlGV6wIFKf3P1g-Q2sABtSpVI

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 3 =