Ministério Público desiste de investigar suposto golpe com Ethereum considerado um dos maiores do mundo

O Ministério Público Federal declinou da atribuição de investigar um suposto golpe com Ethereum que estaria fazendo vítimas no Brasil.

Chamado de Forsage a plataforma que ainda está em operação é acusado de ser um dos maiores esquemas de fraude já executados no Ethereum.

Baseado em esquemas de marketing multinível, o suposto esquema promete rendimentos garantidos por meio de um sistema de indicação no qual o usuário deve depositar 0,05 ETH para entrar.

Assim, depois de ‘entrar’ no suposto esquema ele recebe um link de indicação e cada usuário que deposita mais 0,05 ETH rende uma comissão de 0,025 ETH para quem recomendou e o resto do dinheiro é enviado para os criadores anônimos da pirâmide.

A denúncia do esquema foi feita na sede do MPF no Rio de Janeiro.

“A referida plataforma seria responsável por oferecer aos seus usuários catálogos de investimentos em determinados serviços, os quais seriam pagos mediante realização de transações em moedas digitais conhecidas como “ethereum”. Tais investimentos seriam, em tese, desviados dos seus titulares, por meio de alta tecnologia, sem que os mesmos percebessem. O modus operandi dos responsáveis pela fraude supostamente ocorreria da seguinte forma: o investidor compra “ethereum” em casas de câmbio legalmente autorizadas. Em seguida, é direcionado por líderes locais da “forsage.io” a investir esse valor na plataforma, sob pretexto de dobrar o valor do investimento.”, destaca a denúncia ao MPF.

MPF não vai investigar

Segundo o MPF há sérios indícios de fraude e suspeitas de prática de pirâmide financeira na plataforma.

“Fraude assemelhada ao esquema de pirâmide, que se caracteriza por oferecer a seus associados/investidores uma perspectiva de lucros, remuneração e benefícios futuros irreais, cujo pagamento depende do ingresso de novos investidores, não envolvendo, de fato, a negociação de moedas virtuais, mas somente usando de tal pretexto, para a orquestração de golpe com o intuito de captar indevidamente recursos da vítima, amoldando-se, em tese, a prática do crime de estelionato e/ou contra a economia popular”, afirma.

Porém, segundo a instituição, como não se trata de um crime contra o sistema financeiro nacional o MPF não deve ser o responsável pela investigação, ficando o caso delegado ao Ministério Público do Rio de Janeiro.

“Aplicação da Súmula nº 498 do STF. Ausência de indícios de crime contra o sistema financeiro nacional. Homologação do declínio em favor do Ministério Público Estadual”, finaliza a decisão.

Forsage por ser o maior golpe com Ethereum

Depois de inúmeros golpes que usaram o Bitcoin como isca para atrair investidores, o Forsage vem sendo acusado de ser o maior golpe com Ethereum, da história dos criptoativos.

Embora não seja possível rastrear os fundos do golpe, estimativas apontam que ele teria arrecadado quase US$ 5 milhões de dólares em Ethereum em um único dia e, no total, já teria mais de 600.000 ETH.

Dovey Wan, fundador da gestora Primitive Crypto, aponta inclusive que a alta no preço do Ethereum estaria muito mais ligada ao golpe que a explosão de DeFi.

“O piso de preço do ETH não é devido a alguns golpes de foodcoin ou possível explosão de defi, infelizmente é vem da força da Forsage, a versão ETH atualmente em curso do Plustoken. Acabei de verificar que a atividade que ainda está prosperando”, disse recentemente.

Ainda segundo ele, uma ‘queda’ na pirâmide deve afetar fortemente o preço do Ethereum.

“Isso é muito assustador, considerando que a quantidade de ETH enviada está diminuindo faz um tempo, o que significa que esse esquema Ponzi em breve irá parar de funcionar”, afirmou.

Porém, o Forsage anunciou recentemente que está com um ‘novo’ pacote o xGoldEth que deve funcionar no mesmo esquema dos golpes anteriores e manter assim a suposta pirâmide ativa.

Fonte: https://cointelegraph.com.br/news/public-prosecutor-gives-up-investigating-alleged-coup-with-ethereum-forsage

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − três =